ÔNIBUS E BRT

BRT.png
onibus-bh.jpg

O elemento estrutural da mobilidade dos centros urbanos, o ônibus, passa por um momento delicado face aos desafios deste cenário novo, conturbado e transformador vivenciado pela mobilidade.
Todos os parâmetros de viabilidade, de custo, de operação etc. devem ser reavaliados e, em paralelo, as novas possibilidades de equipamentos e aplicativos devem ser considerados ao criar um novo modelo para o sistema. A integração dessas possibilidades é um imperativo técnico a ser enfrentado e equacionado.
Em cidades menores está sendo constatado a inviabilidade de manutenção deste sistema nos moldes atuais, mas o serviço público de transporte pode até ser melhorado, com o uso de modelagem jurídica adequada, com o uso de aplicativos que não só melhoram a qualidade do serviço prestado como representam uma renda certa para esses prestadores de serviço, moradores da cidade atendida.
No outro extremo, cidades de porte mais significativo, o transporte coletivo atendido por veículos de maior capacidade (ônibus, BRT etc.) é imprescindível, sob pena de perda da eficiência da Cidade e de seu ambiente econômico / social. Entretanto, deve-se repensar o seu desenho, com a perspectiva de estabelecer quando possível a troncalização, o estabelecimento de prioridades para o ônibus nos principais trechos do sistema viário e a integração com as novas modalidade nas pontas do itinerário, reduzindo os custos operacionais e de investimento. Usar o melhor que cada participante da mobilidade pode dar. Tornar sustentável o sistema de transporte e a Cidade.

Serviços:

  • Relatório de Diagnóstico Atual.

  • Estudo de Circulação Viária.

  • Estudo de Demanda e de Traçado.

  • Estudo de Capacidade das interseções semaforizadas.

  • Estudo de Impacto na Circulação gerados pela redistribuição dos volumes de tráfego nas interseções do entorno.

  • Microssimulação de redes de tráfego (veículo e pedestres).

  • Análise da programação semafórica.

  • Elaboração de Relatório de Desempenho com avaliação, como atrasos, número de paradas, velocidade média,grau de saturação, nível de serviço, tempo de viagem, comprimento de filas, razão volume/capacidade, emissão de poluentes, consumo de combustível.

  • Elaboração de Pareceres Técnicos, contendo avaliação qualitativa e quantitativa das alternativas de projeto propostas e a definição de prioridades de intervenção no município.

  • Projeto Urbanístico.

  • Projeto Paisagístico.

  • Projeto de Sinalização Horizontal e Vertical.

  • Projeto de Sinalização Semafórica.

  • Projeto de Sinalização Indicativa.

  • Projeto de Faixas Operacionais de Trânsito (Projeto de Faixas de Pano).