TERMINAIS AEROPORTUÁRIOS

aeroporto.png
aeroportoPessoas-min.png

Além de vários projetos desenvolvidos ao longo dos anos para reorganização do sistema de acesso a terminais aeroportuários diversos, o contrato com a INFRAERO onde tratamos os 26 maiores aeroportos do país completa o nosso conjunto de experiências nessa área. 
Como os passageiros chegam, qual o modo de transporte, onde desembarcam, onde estacionam, como caminham para os terminais etc. são processos que modelamos e simulamos garantindo não só a eficiência de cada atividade, mas a consistência e a compatibilidade entre elas.
A inserção desta estrutura nas cidades e a sua convivência com o ritmo urbano, a sua interface de circulação e de integração com os demais modos de transporte,  a garantia de um bom sistema de acessibilidade tanto para veículos quanto para pedestres etc.  são elementos  que compõem o conjunto de variáveis que devem ser objeto de análise, sob uma perspectiva que respeita a especificidade de cada um deles em termos de operação aeroportuária e também o seu ambiente específico.

Serviços:

  • Estudos de mobilidade urbana e integração modal de acesso aos aeroportos.

  • Levantamento dos planos existentes e previstos nos órgãos relacionados à logística de transportes, incluindo, entre outros: Agências Reguladoras (ANTT, ANTAQ, ANAC), Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes, Ministérios das Cidades, do Meio Ambiente, dos Transportes e da Defesa, Secretarias Estaduais e Municipais de Transportes, bem como na própria Infraero, visando à avaliação de compatibilidade entre o planejamento aeroportuário e de transportes na região, considerando a capacidade da infraestrutura e as alternativas de integração modal.

  • Projeção das demandas viárias urbanas relativas a passageiros e cargas nos  corredores de acesso em UCP (unidade carro de passeio), obtidas em levantamentos realizados pelos órgãos de transportes e/ou levantamento em campo de transitometria classificada.

  • Identificação dos corredores de acesso e de suas conexões urbanas, com definição de contagens de  tráfego, velocidade média, taxa média de ocupação dos veículos, níveis de segurança/ estatísticas de acidentes, gargalos físicos, número de pistas, existência ou não de faixa de acostamento, de  sinalização vertical e horizontal, de sistema de drenagem superficial; tipo de pavimentação e suas condições, assim como outros elementos que possam contribuir para a orientação de melhorias nas condições de transporte e acesso aos terminais aéreos.

  • Levantamento e avaliação da capacidade das malhas de transporte disponíveis nas modalidades rodoviária, ferroviária e aquaviária. Nesta pesquisa deverão ser estimados os números de ônibus, táxis, trens de superfície, trens de metrô, veículos de transporte alternativo.

  • Avaliação da capacidade e nível de serviços dos corredores e do segmento final de acesso ao aeroporto., utilizando o Highway Capacity Manual - HCM.

  • Elaboração e execução de pesquisa de perfil de passageiros, enfocando a distribuição modal e taxa de ocupação de veículos, em complementação à identificação de polos geradores de viagens de/para o aeroporto.

  • Pesquisa de origem/destino visando à identificação de polos geradores de viagens de carga e de usuários dos aeroportos, com o objetivo de estimar dados de demanda para orientação do planejamento das ações logísticas nos horizontes de curto, médio e longo prazo.

  • Avaliação e proposição de melhorias dos sistemas de transportes existentes na ligação do aeroporto e seus polos geradores de viagens, bem como das oportunidades de utilização de sistemas de alta capacidade.

  • Avaliação e proposição de melhorias do segmento final de acesso e vias de atendimento do aeroporto.

  • Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental – EVTEA, em conformidade com a metodologia do DNIT.

  • Estudos, a análise de todos os projetos de mobilidade urbana/regional, previstos e a realização de uma pesquisa de preferência declarada entre os usuários de transporte aéreo das regiões metropolitanas.